Feliz Dia da Visibilidade Lésbica! E viva o Enlésbi!

Image

visibilidadee2

O dia de amanhã, 29 de Agosto, representa mais uma data da qual devemos nos orgulhar e valorizar com força: o Dia da Visibilidade Lésbica. Consciente disso, e com o objetivo de aproveitar a oportunidade para dar mais visibilidade à data, além de plantar sementes de reflexão nas mentes das pessoas a respeito da relação lésbicas-sociedade em suas mais variadas instâncias, o Diadorim estará presente na UNEB a partir de 2h da tarde, no prédio de Educação, panfletando, socializando com as pessoas e informando-as a respeito das ações e eventos promovidos pelo Núcleo.

estampa enlesbi cortada

Para embelezar ainda mais essa data, segue abaixo a carta aberta gerada pelo I Enlésbi (Encontro de Lésbicas e Mulheres Bissexuais do Estado da Bahia), fruto de todo o suor, beleza, força, atitude e garra do qual foi construído o evento, desde os primeiros passos da sua concepção. O Primeiro Enlésbi ocorreu nos dias 16 e 17 de Agosto de 2013, no Hotel Grande da Barra, em Salvador. Ano que vem, sua cidade-sede será a querida Feira de Santana.

 

Carta Aberta – Encontro de Lésbicas e Mulheres Bissexuais do Estado da Bahia

Unidas pelo desejo de construir lesbianidades e feminismos críticos, do tipo radical, visceral, criativo, libertário, heterodissidente, livres de violências de gênero, nós, participantes do 1º EnLesBi – Encontro de Lésbicas e Mulheres Bissexuais da Bahia, realizado em Salvador – Bahia, no Grande Hotel da Barra, nos dias 16 e 17 de agosto de 2013, com propósito de fomentar formação política, combater o sexismo, machismo, racismo, lesbo/bifobia e de criar redes de solidariedade, produção e difusão de conhecimentos relevantes para as lésbicas, bissexuais e suas/nossas lutas, após gingar nossas lesbianidades e feminismos em diferentes rodas de conversas, de forma coletiva e solidária reconhecemos:
• que os direitos humanos têm sido cerceados por conta de ideologias totalitárias, extremamente conservadoras e moralistas, embasadas muitas vezes por fundamentalismos religiosos que não respeitam as diferenças;
• que o estado que não garante a laicidade viola os direitos humanos;
• a necessidade do Estado reconhecer as lésbicas e mulheres bissexuais como sujeito político, bem como suas formas de organização;
• a urgência na implementação do Eixo 9 – Enfrentamento ao Racismo, Sexismo e Lesbofobia – do Plano Nacional de Políticas para Mulheres;
• o descaso na implementação de ações de saúde integral da mulher lésbica previstas no Plano Nacional de Saúde da população LGBT;
• o imperativo sobre a implementação do Centro de Referencia LGBT de Salvador;
• a necessidade de pactuações entre esferas de governo e avanços intersetoriais com garantias orçamentárias para efetivação de políticas públicas para lésbicas e mulheres bissexuais.
• que é preciso reinserir no artigo 1 do PLC 122 o termo “gênero” , como segue:
Art. 1º Serão punidos, na forma desta Lei, os crimes de ódio e de intolerância, sendo estes os praticados por motivo de discriminação ou preconceito de gênero identidade de gênero, orientação sexual, idade, deficiência ou por outro motivo assemelhado, indicativo de ódio ou intolerância.

Certas de que o cenário político da Bahia e do Brasil exige ação/reação nossa a cada dia frente a situação de vulnerabilidade e violência a que estão submetidas as lésbicas e mulheres bissexuais das Américas, transformando nossa pluralidade em potência revolucionária, discutimos e aprovamos as seguintes deliberações:
1. Criar o Fórum de Lésbicas e Mulheres Bissexuais da Bahia – fórum.enlebi.bahia;
2. Fomentar junto aos e às parlamentares da Bahia a elaboração e aprovação de leis municipais em todo território baiano reconhecendo o dia 29 de agosto como o dia municipal da visibilidade lésbica;
3. Fomentar junto aos e às parlamentares da Bahia a elaboração e aprovação de leis municipais em todo território baiano criando conselhos municipais de políticas para a população LGBT;
4. Propor, junto aos e às parlamentares da Bahia, a elaboração e aprovação de leis municipais de combate a homofobia, lesbofobia e transfobia em todos os municípios da Bahia;
5. Reivindicar implementação urgente do Centro de Referencias LGBT de Salvador;
6. Realizar anualmente o ENLESBI BAHIA durante as ações da visibilidade lésbica em parceria com o poder público, universidades e movimentos sociais;
7. Realizar o II ENLESBI BAHIA (2014) no município de Vitória da Conquista; sob Coordenação Geral do Grupo de Lésbicas Safo;
8. Promover a realização de ENLESBI Norte e Nordeste;
9. Realizar durante a “Campanha de 16 dias de ativismo pelo fim da violência contra as mulheres”, que acontece no período de 20 de novembro a 10 de dezembro de 2014, um “ENLESBI TEMÁTICO” para discutir DST e feminilização da AIDS.
Salvador, 17 de agosto de 2013
Assinam essa Carta Aberta:

1. FÓRUM BAIANO LGBT,
2. LIGA BRASILEIRA DE LÉSBICAS – ABL,
3. DIADORIM – NÚCLEO DE ESTUDOS DE GÊNERO E SEXUALIDADE DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA,
4. GRUPO AMULETO-Salvador,
5. COLETIVO KIU! – Salvador,
6. ARTICULAÇÃO BRASILEIRA DE LÉSBICAS – ABL,
7. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE GAYS, LÉSBICAS, BISSEXUAIS, TRVESTIS – ABGLT,
8. REDE NACIONAL DE NEGRAS E NEGROS LGBT,
9. CONSELHO NACIONAL DE DIREITO DA MULHER – CNDM,
10. CONSELHO NACIONAL DE SAÚDE –CNS,
11. CONSELHO NACIONAL DE COMBATE À DISCRIMINAÇÃO LGBT-CNLGBT,
12. UNIÃO NACIONAL DE ESTUDANTES – DIRETORIA LGBT,
13. GLEIGS – GRUPO DE LEITURA E ESTUDOS INTERDISCIPLINARES DE GÊNERO E SEXUALIDADE – CAMPUS XIV – UNEB –Conceição do Coité,
14. GRUPO HUMANOS – Itabuna,
15. GRUPO DE MULHERES ALOYDE YALODÊ – Salvador,
16. KIZOMBA ARCO-ÍRIS – Recôncavo baiano,
17. GRUPO CACTOS – Irecê,
18. GRUPO DE LÉSBICAS E MULHERES BISSEXUAIS SAFO – Vitória da Conquista,
19. ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE CULTURAL E RELIGIOSA OMO GIDIBI –Simões Filho,
20.GRUPO LGBT SOL – Jequié,
21. GRUPO CONTRA PRECONCEITO –Simões Filho,
22.ACONTECE LGBT –Santa Catarina,
23.KIZOMBA ARCO-ÍRIS – Vitória da Conquista,
24.COORDENAÇÃO DA DIVERSIDADE – SUDEB,
25.MOVIMENTO DE LÉSBICAS E MULHERES BISSEXUAIS DA BAHIA – Sto. Antônio de Jesus,
26.COLETIVO OVEJA NEGRAS – Uruguai,
27.GRUPO OMNI BAHIA – Salvador e Recôncavo baiano,
28.LILAS- LIGA DE LÉSBICAS –Lauro de Freitas,
29.GAMI – GRUPO ALTERNATIVO DE MULHERES INDEPENDENTES – RN,
30.GRUPO SAPAS DE MOCHILA – Salvador,
31. INSTITUTO NZINGA DE CAPOEIRA DE ANGOLA/Coord. de Estudos de Raça, Gênero e Sexualidade – Salvador,
32.COLETIVO LESBIBAHIA – Salvador,
33.ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO CONJUNTO SANTA LUZIA –Salvador.

Anúncios

Sobre secdiadorim

Núcleo de Estudos de Gênero e Sexualidade da UNEB
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.